Check List das Operações no Forex

Tempo de leitura: 3 minutos

Check List das Operações no Forex

A maioria das minhas operações são lucrativas.

Na semana passada estava pensando a respeito do que escrever para o blog e, de repente, me dei conta da afirmação acima.

Analisar os motivos desse sucesso e falar a respeito deles é uma forma de aprimorar meu próprio método de operação, bem como de passar adiante ensinamentos que podem ser aproveitados por novatos que estão em busca de uma direção no mercado.

E sendo alguém que se encaixa nesse perfil, é provável que você se pergunte o que é um check list de operações para o forex.

No meu caso, trata-se de uma lista já fixada em minha mente que determina critérios rígidos para determinar se alguma operação tem potencial para que eu entre nela.

Se um trade em potencial não se encaixa nesses critérios, então é quase certo que não abrirei uma posição. Contudo, se ele se encaixa, então tenho a obrigação de abrir uma posição.

Ter critérios é uma forma realmente efetiva de filtrar operações ruins. Além disso, esse check list me ajuda a manter a cabeça focada em seguir o plano e faz com que o nível de sucesso seja excepcionalmente maior do que se estivesse operando apenas por um “feeling”.

Um trader iniciante precisa manter um check list similar a esse sempre que for analisar o mercado para abrir uma posição no Forex.

Não importa se será impresso, ou em um documento do word ou mesmo usando sites que fornecem modelos a serem preenchidos online.

Vamos utilizar o exemplo de um check list de operação para o forex que pode ser utilizado por você para montar o seu próprio.

Montando o Check List de Operações no Forex

Criar um Check List requer que, inicialmente, você defina o que é um bom setup de operação.

Talvez você opere quebras de pivot points, então identificar uma forte tendência realizando essa quebra seria o seu setup ideal.

Ou então talvez prefira operar reversões de tendências maiores e aí um bom setup seria a identificação de pontos de indecisão.

Em outro caso, seu setup seria definido por um conjunto de indicadores que indicariam os pontos de entrada.

Vamos ficar com o caso de um operador que busca identificar a transição de poder entre as forças do mercado.

Assim, se temos uma forte tendência altista e ocorrem formações de indecisão nos gráficos, é esperado que se veja o poder passando dos touros para os ursos. Podemos traduzir isso no check list da seguinte forma:

  • Existem fortes sinais de indecisão?
  • Quem controla o mercado, touros ou ursos?
  • É realmente uma transição de poder e escolhi um ponto de entrada adequado?
As 3 primeiras questões do meu check list me ajudam a filtrar setups fracos, dos quais não desejo tomar partido. Também me ajudam a selecionar o melhor ponto de entrada.

Os itens seguintes me ajudam a gerenciar a operação.

  • Existem áreas de suporte ou resistência próximas? (Analisar o que acontece quando ignoro este item no check list)
  • Existe algum relatório ou  anúncio importante acontecendo ou prestes a acontecer que pode impactar esta operação? Qual meu stop e objetivo nesta operação?
  • A resposta ao item anterior está de acordo com os parâmetros da minha estratégia de gerência de capital?

Imprima sua lista!

Um trader sacrifica muitas árvores ao longo do caminho para se tornar um profissional.

 

Isso acontece porque um novato não tem ainda a condição para lembrar-se automaticamente de todos os itens da lista. E ainda que lembrasse, é difícil ter o comprometimento de seguir à risca todos os itens, por isso que é preciso ter isso no papel e manter sempre diante de você.

 

Assim que um setup é identificado, é preciso responder às questões do check list e se elas forem positivas aí sim entrar na operação.

 

Clique no link abaixo para servir de exemplo para você, caro(a) leitor(a). Aguardo seus comentários :)

 

 

Imagem 6